Ministro da Saúde chega a Manaus na inicio da noite deste domingo

Na capital amazonense eles se reúnem ainda hoje com o governador do estado, Wilson Lima e com o prefeito Arthur Virgílio.

O ministro da Saúde, Nelson Teich, e o secretário-executivo, general Eduardo Pazuello, embarcam na tarde deste domingo, em Brasília, com destino à Manaus. Na capital amazonense, onde deve permanecer por dois dias, o ministro e sua equipe vai se reunir ainda hoje com o governador do estado, Wilson Lima e com o prefeito Arthur Virgílio.

Na segunda-feira (4/05), Nelson Teich e os demais integrantes da sua equipe visitam o hospital Delphina Rinaldi Abdel Azir, o hospital de Campanha Municipal Gilberto Novaes, na zona Norte de Manaus, e o Hospital de Retaguarda Nilton Lins. Na agenda também está prevista ainda visita às instalações do Comando Militar da Amazônia.

Em seu Twitter, o ministro disse que vai acompanhar de perto a situação do estado, que está entre os com maior incidência do novo coronavírus no país. “Neste domingo, embarco para Manaus para acompanhar de perto a situação do atendimento a população do Amazonas. Estamos juntos no combate ao Covid-19, com o Governo do Estado e do Município”, escreveu o ministro no post.

Números do Covid-19 no Amazonas

Segundo boletim divulgado neste sábado (2/05) pela Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM), o Amazonas registrou mais 339 casos da doença, totalizando 6.062 casos confirmados do novo coronavírus no estado. O número de mortes subiu para 501. Dos 6.062 casos confirmados no Amazonas, 3.658 são de Manaus (60,3%) e 2.404 do interior do estado (39,6%). 64 óbitos estão em investigação e 31 foram descartados para o novo coronavírus.

Na Semana passada, em videoconferência da Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco), o prefeito de Manaus Arthur Virgílio Neto afirmou que o isolamento social é um fracasso na cidade e que o sistema de saúde entrou em colapso pelo crescimento de casos na capital. Ele frisou que antes da pandemia a média era de 32 enterros por dia na capital e agora já chegaram a 140 sepultamentos em um só dia. “O sistema de saúde colapsou, pois suas capacidades de atendimento estão sendo muito rapidamente esgotadas. Então as respostas não são as que nós idealmente gostaríamos de oferecer”, declarou.

No sábado, dois aviões da Força Aérea Brasileira (FAB) levaram à capital amazonense uma grande quantidade de equipamentos de proteção individual e outros materiais de saúde para serem distribuídos para a rede hospitalar do estado.

Da redação, com informações da Agência Brasil

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Skip to content