Vinho brasileiro, safra 1951. Revelação singular!

Por Humberto Amorim

Na semana que passou fui alvo de uma das mais singelas e emocionantes homenagens na minha longa e prazerosa trajetória como enófilo, iniciada na adolescência nos Estados Unidos. O querido amigo e Enófilo Rodrigo b=Blanco, integrante da confraria cambada de Edwine Lovers Manaus, resolveu materializar através de um gesto de extrema fraternidade e elegância, pela passagem dos meus 70 anos de boa vida, a entrega de uma garrafa de vinho brasileiro da variedade Cabernet Franc da colheita de 1951. Isso mesmo, um vinho atijolado e vivíssimo, engarrafado há 70 anos. Interessante também a história das descobertas das preciosas garrafas por uma pesquisadora, enterradas em um sítio no Rio Grande do Sul, e divididas em dois lotes das safras de 1951 e 1953.

O privilégio tornou-se ainda maior pois o nectar do nobre fermentado em surpreendente e perfeito estado para o consumo, compartilhei com os demais integrantes da confraria que participavam da festiva mensal, no momento do descorcharmento da ampola, tão espetacular quanto inesquecível. Foi um acontecimento sem igual que ficará para sempre na lembrança viva de todos nós. Grande Rodrigo! Mil vezes obrigado pelo mimo.

Um outro acontecimento envolvendo, desta vez um outro vinho nacional da uva syrah, trouxe a indústria vínica do nosso país de volta ao centro das atenções no cenário internacional de grandes vinhos, notáveis pela alta qualidade. A Vinícola Guaspari localizada no município paulista de Espíirito Santo do Pinhal, foi a responsável por mais essa grande conquista brasileira, ao faturar a medalha de prata na competição “Syrah du Monde 2021” com o rótulo Guaspari Syrah vista do chá 2016.

Esta não foi a primeira vez que um Syrah da vinícola recebeu reconhecimento internacional vinícola foi a única brasileira premiada na 15ª edição do prêmio, que ocorreu em junho. O Syrah du Monde é um Concurso Internacional de vinhos da França que reconhece os melhores rótulos de uva Syrah e entrega medalhas representativas para o setor.

Realizada no Château D’ampuis, na comuna francesa de ampuis, a competição deste ano reuniu 100 juízes internacionais, que avaliaram os melhores Syrah do mundo. Ao todo, foram experimentados 287 vinhos de 25 países, que disputaram 20 medalhas de ouro e 72 de prata.

O premiado vinho brasileiro Syrah vista do chá 2016 possui uma forte cor rubi, com bom equilíbrio e acidez. De personalidade forte e concentrado, o vinho tem. A Guaspari foi a primeira vinícola brasileira a ter uma garrafa estampada na capa da prestigiada revista Decanter, com o Syrah vista da serra 2017. Na mesma edição, o Syrah vista do chá 2016 teve avaliação de 91 pontos, uma ótima ponderação para os parâmetros da publicação.

Pioneira na produção de vinhos na Serra da Mantiqueira, na divisa entre São Paulo e minas gerais, a  Vinicola Guaspari  se estabeleceu onde existia antes uma fazenda de café. Esta localizada entre 1.000m e 1.300m de altitude, em que a insolação durante o dia e as noites fresquinhas garantem um produto similar às regiões europeias produtoras.

Em miúdos – os vinhos Brazucas estão mesmo surfando na crista da onda do cenário mundial, pois são desenhados pela qualidade dos grandes sucos da bíblia. Minha opinião – os vinhos brasileiros hoje em dia merecem estar mais presentes nas mesas de todos os brasileiros apreciadores de bons vinhos.

Skip to content