Morre Pelé, o maior ídolo do futebol mundial, aos 82 anos

Rei do Futebol estava internado a exatos um mês, no Hospital Israelita Albert Einstein, em SP, onde reavaliou o tratamento quimioterápico e foi diagnosticado com uma infecção respiratória

Morreu na tarde quinta-feira (29/12), Edson Arantes do Nascimento, o Pelé, aos 82 anos. Natural de Três Corações, em Minas Gerais, o Rei do Futebol nasceu em 23 de outubro de 1940 e lutava contra um câncer de cólon desde 2021, doença que se espalhou em metástases para o intestino, pulmão e fígado.

Pelé estava internado no Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo, desde o dia 29 de novembro. Na ocasião, ele foi diagnosticado com uma infecção respiratória, além de dar continuidade ao tratamento do câncer. Nos últimos dias, os médicos anunciaram a progressão da doença, sendo necessário “maiores cuidados relacionados às disfunções renal e cardíaca.”

Durante o período da Copa do Mundo do Catar, Flávia e Kelly, filhas de Pelé, publicaram imagens ao lado do pai acompanhando os duelos do Mundial. A conta oficial do Rei do Futebol também fez várias postagens comentando as partidas e enviou mensagens para Neymar, Messi e Mbappé, por exemplo. Pelé ainda parabenizou a seleção argentina pelo tricampeonato mundial e disse que Diego Maradona deveria estar feliz no céu. O craque argentino morreu há dois anos.

Problemas de saúde

Desde que iniciou tratamento contra o tumor no cólon em 2021, Pelé passou a ir ao hospital com frequência. Durante esse período, o ex-jogador foi submetido a uma cirurgia para retirada do tumor no Albert Einstein, em São Paulo, em setembro do ano passado, além de várias sessões de quimioterapia.

A saúde de Pelé já havia sido assunto no início do ano, quando exames constaram a metástase que atingiu o intestino, pulmão e o fígado do ex-atleta.

Antes do câncer, o Rei do Futebol já evitava aparecer em público por causa dos problemas no quadril. Ele passou por duas cirurgias no local e passou a precisar do auxílio de cadeira de rodas para se locomover. O craque recusou, por exemplo, o convite para acompanhar a abertura da Copa do Mundo da Rússia, em 2018, e também para acompanhar a final da Libertadores de 2020 entre Palmeiras e Santos, no Maracanã, no Rio de Janeiro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Skip to content