Produção e emprego na indústria avançam em julho

Segundo a Confederação Nacional da Indústria (CNI), a partir do portal Metrópoles, o índice de crescimento da produção mostrou 51,9 pontos em julho deste ano, um resultado superior à linha divisória dos 50 pontos, mostrando um crescimento na produção ante o mês anterior. O índice de evolução do número de empregados foi de 52,1 pontos em julho. A informação demonstra crescimento do emprego industrial pelo terceiro mês seguido e do ritmo do emprego em comparação a junho. A Utilização da Capacidade Instalada (UCI), por sua vez, mostrou o maior valor para o ano até a ocasião, ficando acima do percentual médio dos meses de julho desde o começo da série histórica, em 2011. A Sondagem Industrial consultou 1.857 empresas, entre 1º e 9 de agosto de 2022, de acordo com a CNI.

Em relação aos Estados Unidos, a produção teve aumento de 0,6% em julho em comparação a junho, segundo o Federal Reserve (Fed), o Banco Central norte-americano. Ainda foi apontado que a taxa de uso da capacidade instalada avançou de 79,9% em junho (dado revisado, de 80% antes informado) para 80,3% em julho. Aqui, a previsão era de 80,2%.

CNI defende a utilização de hidrogênio para descarbonizar a indústria

Ainda sobre a realidade industrial, que envolve linha de pintura, por exemplo, a CNI, a partir do portal Metrópoles, apresentou uma pesquisa defendendo a utilização de hidrogênio sustentável como alternativa de descarbonização da economia e transição de fontes energéticas. A entidade crê que o Brasil possui potencial de inserção de maneira competitiva, nesse mercado, por conta da disponibilidade de recursos renováveis de que precisam para a produção e possibilidades de utilização interna e exportação.

“A consolidação do Brasil como produtor de hidrogênio tem o potencial de gerar empregos, atrair novas tecnologias e investimentos e desenvolver modelos de negócios, bem como inserir o país numa posição relevante na cadeia global de valor, o que pode alterar positivamente a balança comercial do país”, disse o presidente da CNI. De acordo com a Agência Internacional de Energia (IEA, na sigla em inglês), desde 2000 foram localizados 990 projetos de hidrogênio no mundo e 67 países com, pelo menos, uma iniciativa no segmento. Do total, apenas quatro no território nacional. Iniciativas pioneiras são de Porto do Pecém, no Ceará; de Suape, em Pernambuco; e a do Porto do Açu, no Rio de Janeiro.

Skip to content