Governo do Tocantins busca aperfeiçoar sistema para otimizar uso do CAR por produtores rurais

Análise dos dados declarados no Cadastro Ambiental Rural (CAR) é fundamental para a implantação efetiva do Código Florestal Brasileiro

Com o objetivo de aperfeiçoar o Sistema de Análise do Cadastro Ambiental Rural (CAR), a secretária do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Miyuki Hyashida, se reuniu com os presidentes Wanderley Júnior, da Agência de Tecnologia da Informação (ATI) e Renato Jayme, do Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins), para discutir, de forma estratégica, o aperfeiçoamento do sistema de forma que leve resultados positivos para os produtores rurais.

O CAR é um registro público eletrônico de âmbito nacional, obrigatório para todos os imóveis rurais, com a finalidade de integrar informações ambientais das propriedades e posses rurais, compondo base de dados para controle, monitoramento, planejamento ambiental e econômico. A análise dos dados declarados no CAR é fundamental para a implantação efetiva do Código Florestal Brasileiro

“Queremos agilizar a operacionalidade do sistema, otimizando o processo de análise e verificação dos dados declarados no CAR para que possamos entregar o mais rápido possível os resultados dos cadastros ambientais rurais aos proprietários rurais”, afirma a secretária do Meio Ambiente, Miyuki Hyashida.

A análise das propriedades rurais é feita pelo Naturatins e o presidente do órgão, Renato Jayme, afirmou que as correções no sistema vão possibilitar um avanço na análise dos cadastros ambientais rurais. O presidente pontuou também que o Naturatins pretende ampliar o corpo técnico que está à frente do trabalho de análise do CAR para agilizar os resultados.

O presidente da ATI, Wanderley Júnior, garantiu que a Agência buscará a solução que for mais adequada para atender, com excelência, as demandas referentes ao CAR. “Iremos preparar o ambiente para atender a essa demanda na garantia de que o Governo do Tocantins e a sociedade tocantinense terão retorno efetivo das melhorias no CAR. Assim, faremos gestão à frente dessa pauta e buscaremos as soluções que forem mais adequadas por meio de avaliações de cenários, estabelecimento de cronogramas de trabalhos, entre outros”, afirmou.

Também participaram da reunião, pela Semarh, a secretária Executiva Karynne Sotero, superintendente de Gestão e Políticas Públicas Ambientais, Marli Santos, a diretora de Inteligência Ambiental Clima e Floresta, Cristiane Peres, o gerente do Cadastro Ambiental Rural, Rodrigo Barbosa Lopes, a gerente de Contratos, Gylk Vieira, e a assessora de Apoio a Gestão de Políticas Públicas Ambientais, Mayra Dias.

Pela ATI, estavam presentes os superintendentes Brunno Sales Cunha (Gestão e Governança de TI), Periano Catani C. Arantes (Infraestrutura e Serviços), Roniselton Barreto Rodrigues (Sistemas de Informação).

Cadastro Ambiental Rural

Por ser uma base de dados estratégica, o CAR é um dos mecanismos de fortalecimento da política de preservação ambiental, principalmente das Áreas de Preservação Permanente (APP), de Reserva Legal, das florestas e dos remanescentes de vegetação nativa. É um documento que possui finalidade estratégica para o produtor rural. O fortalecimento e a intensificação das ações produtivas e ambientais, por meio da integração de dados da propriedade, permitem desenvolvimento agropecuário de forma sustentável.

Fotos: Divulgação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Skip to content