Preços do petróleo disparam após Biden anunciar proibição total das importações de petróleo da Rússia

A proibição, anunciada pelos Estados Unidos na terça-feira (08/03), inclui não apenas petróleo russo, mas também carvão e gás natural liquefeito (GNL), disseram fontes da Bloomberg, falando sob condição de anonimato

“Hoje, estou anunciando que os Estados Unidos estão mirando na principal artéria da economia da Rússia. Estamos proibindo todas as importações de petróleo, gás e energia russos. Isso significa que o petróleo russo não será mais aceitável nos portos dos EUA e o povo americano dará outro golpe poderoso na máquina de guerra de Putin”, disse o presidente Biden em um anúncio da Casa Branca na terça-feira (08/03).

O presidente enfatizou que, embora a decisão tenha sido tomada em estreita consulta com seus aliados europeus, ele entendeu que nem todos os aliados estariam em condições de se juntar aos Estados Unidos para sancionar o fornecimento de energia da Rússia.

Na segunda-feira, surgiram relatos de que os Estados Unidos estavam considerando proibir as importações de petróleo russo sem a participação de seus aliados europeus, pelo menos em um estágio inicial de pressionar ainda mais a maior fonte de receita de Putin.

Os aliados ocidentais se abstiveram até agora de impor sanções às exportações de energia da Rússia em meio a preocupações sobre a criação de escassez no mercado de petróleo. A Europa é muito mais dependente do petróleo russo do que os Estados Unidos.

A Europa, segundo afirmou a chanceler alemão Olaf Scholz, não está de acordo com a proibição de importações de petróleo e gás da Rússia.

“Atualmente, não há outra maneira de garantir o fornecimento de energia da Europa para geração de calor, mobilidade, fornecimento de energia e indústria”, disse Scholz.

“Portanto, é nossa decisão consciente continuar fazendo negócios com a energia russa”, disse a chanceler alemã na segunda-feira.

Enquanto isso, também na segunda-feira, democratas e republicanos no Congresso chegaram a um acordo bipartidário que abriria caminho para a proibição da importação de produtos energéticos da Rússia.

A Rússia alertou na segunda-feira que um embargo de energia a Moscou teria “consequências catastróficas para o mercado global”, disse o vice-primeiro-ministro russo Alexander Novak, acrescentando que, se os aliados ocidentais cortarem o petróleo russo, os preços podem saltar para US$ 300 o barril ou até mais. .

Os Estados Unidos, que importam cerca de 500.000 barris por dia de petróleo e produtos russos, podem proibir as importações da Rússia sem consequências graves para sua indústria e economia, ao contrário da Europa.

Fonte: Oilprice.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Skip to content