Hospital de Eirunepé começa usar capsula “Vanessa” no tratamento de pacientes com Covid-19

A rede de saúde do município conta com 20 equipamentos, fruto da parceria da prefeitura com as duas empresas idealizadoras do projeto.

A partir desta quarta-feira (20/5), os pacientes infectados com o novo coronavírus, em Eirunepé, município do rio Juruá, na região sudoeste do Amazonas (distante 1,772 quilômetros de Manaus) poderão ser tratados com a capsula “Vanessa”, equipamento desenvolvido por duas empresas amazonenses que ajuda na recuperação do paciente e protege os profissionais de saúde do contagio.

A rede de saúde da cidade conta com 20 equipamentos, fruto da parceria da prefeitura com os idealizadoras do projeto. O prefeito Raylan Barroso chegou nesta quarta-feira ao município, acompanhado pelo diretor-presidente e o vice-presidente da Samel, Beto Nicolau e Ricardo Nicolau, respectivamente, o vice-presidente da Transire, Clemilton Gomes.

Depois de algumas visitas e paradas em espaços de saúde do município, a equipe técnica da Samel e Transire apresentou aos profissionais do hospital de Eirunepé e de algumas cidades vizinhas, o protocolo médico e o método de tratamento não invasivo da cápsula.

“Quero agradecer as duas empresas e ao prefeito de Manaus, Arthur Neto, por ter cedido a equipe médica, junto com o deputado Ricardo Nicolau, para que nos instruíssem no uso destes equipamentos que têm ajudado a salvar tantas vidas”, disse o prefeito Raylan Barroso, que este no Hospital de Campanha Gilberto Novaes, na capital para conhecer de perto a metodologia aplicada.

Capsula “Vanessa”

A cápsula funciona como um envoltório para ventilação não invasiva e é produzida em uma armação leve e resistente formada por canos de PVC, podendo ser manuseada e higienizada facilmente. Ela é revestida por uma película de vinil transparente para uma melhor visualização do paciente e para auxiliar na contenção do contágio.

Capsula “Vanessa”
Foto: Ascom Eirunepé

“Se utilizada logo no momento da internação, a cápsula pode evitar a evolução do quadro para intubação endotraqueal e reduzir o tempo de internação, em média, de 21 para 4,9 dias”, explicou Beto Nicolau, diretor da rede Samel.

O deputado Ricardo Nicolau, que pediu afastamento da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam), para se dedicar ao combate do coronavírus destacou que toda assistência prestada aos municípios é necessária para vencer a doença. “Vamos juntos trabalhar de forma totalmente gratuita para salvar vidas”.

Novos equipamentos

Além das capsulas, o hospital e as Unidades Básicas de Saúde (UBS’s) do município já receberam camas hospitalares, macas, aparelhos de infusão, suporte para coleta de sangue, armários, vitrine, suporte para soro, biombos, cadeiras para consultórios, colchões com capa em napa, carros para curativo, para transpassar e padiola, escadas, foco clínico ginecológico, mesas auxiliares, de macas ginecológicas, poltronas para acompanhantes, balança, cadeiras de banho e de rodas, entre outros. Todos adquiridos com recursos próprios da prefeitura, que já vem reforçando os investimentos na saúde desde antes da pandemia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Skip to content