Serviços gerais do hospital de campanha de Parintins estão sem salários e com medo de contágio pela Covid-19

Dos 25 trabalhadores contratados pela prefeitura, oito já contraíram a doença e, a maioria, diz que está passando necessidades com a família.

Contratados pela Prefeitura de Parintins, no inicio do mês de abril, para cuidar da higiene e limpeza do hospital de campanha que recebe os pacientes infectados pelo novo coronavírus, 25 trabalhadores de serviços gerais, ainda não receberam o primeiro salário e não tem qualquer perspectiva de quando vão receber.

Com medo de represália, eles pediram para não ter o nome divulgado, mas, o que eles temem mais, é ficar sem salário após terem se dedicado tanto ao trabalho e corrido o risco de serem contaminados pelo Covid-19. “A maioria de nós estava desempregada, e quando foi chamada para trabalhar, foi a maior alegria. Agora, estamos vivendo pesadelo: sem dinheiro, devendo meio mundo e, sem ter como pagar, porque a prefeitura não dar sequer satisfação, imagina pagar a gente”, afirma um dos trabalhadores do hospital de campanha.

Segundo informações do grupo, oito trabalhadores já foram infectados pelo novo coronavírus e estão afastados do trabalho no hospital de campanha, “sem dinheiro para compra nem comida, nem remédio. Muitos não têm mais credito nos comércios e a família esta passando fome”, reclamam.
Um deles contou a reportagem do Portal Valor Amazônico, que a chefia do hospital diz que a responsabilidade pelo pagamento dos salários é da prefeitura e, na prefeitura, os trabalhados não recebidos pelos gestores, quando buscam respostas.

A reportagem do Valor Amazônico fez contato com prefeitura de Parintins, por meio da secretaria municipal de Comunicação, ainda na quinta-feira (7/5), quando recebeu a denúncia dos trabalhadores do hospital de campanha, mas até o fechamento da matéria não obteve resposta.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Skip to content