Casos de malária apresentam queda de quase 9% em Manaus

A capital amazonense registrou 1.583 casos de malária nos quatro primeiros meses deste ano. O número representa uma redução de 8,9% em comparação com o mesmo período do ano passado, quando foram notificados 1.738 casos da doença, de acordo com levantamento da Prefeitura de Manaus.

De acordo com o chefe do Núcleo de Controle da Malária, da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), João Altecir Nepomuceno da Silva, a redução mantém uma tendência dos últimos dois anos, sendo que, em 2018, houve redução de 20,8% e, em 2019, chegou a 21,9%, superando a meta pactuada de 15% nos Planos Anuais de Saúde (PAS – 2018 e 2019).

A malária é doença infecciosa produzida por protozoários do gênero Plasmodium, tendo como principal vetor de transmissão o mosquito Anopheles. É necessária a participação do vetor de transmissão, que é a fêmea do mosquito Anopheles, infectada pelo protozoário plasmodium, que causa a doença.

Na prevenção à malária, a população pode contribuir com cuidados básicos para evitar a disseminação da doença: uso de mosquiteiros; uso de roupas que protejam pernas e braços para evitar a picada do mosquito; colocação de telas em portas e janelas; uso de repelentes; e nas áreas de incidência do mosquito transmissor da malária, normalmente locais de floresta com rico manancial de água limpa, é necessário que a população evite frequentar beira de rios, igarapés e áreas alagadas no final da tarde ou no amanhecer, período onde há maior circulação do mosquito transmissor.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Skip to content