Emprego melhora, mas ainda são mais de 26 milhões de desempregados no Brasil

Taxa trimestral de desemprego fica em 11,2% até janeiro. Não houve mudanças significativas em comparação ao mesmo período em 2019

A taxa de desocupação no Brasil, entre novembro do ano passado e janeiro de 2020, ficou em 11,2%. Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua) divulgados nesta sexta-feira (28/2), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O Brasil tinha 11,2% de desempregados em janeiro, contra 11,6% no trimestre encerrado em outubro de 2019.
Isso significa que 11,9 milhões de brasileiros procuraram emprego entre novembro e janeiro, uma redução de 453 mil em relação ao trimestre móvel imediatamente anterior. O resultado ainda pega os efeitos das contratações temporárias para o Natal, já que inclui os dois últimos meses de 2019.
De acordo com o IBGE, a taxa de informalidade caiu em relação ao trimestre móvel anterior. Em janeiro, eram 40,7% da população ocupada, ou 38,3 milhões de pessoas. No trimestre encerrado em outubro, a taxa foi de 41,2%.
A taxa de subutilização da força de trabalho também recuou, chegando a 23,2%, 0,6 pontos percentuais a menos do que o registrado no trimestre encerrado em outubro.
O rendimento médio do trabalhador brasileiro ficou em R$ 2.361, estável em relação aos R$ 2.317 do trimestre encerrado em outubro. A massa de renda real habitual paga aos ocupados somou R$ 217, 399 bilhões no trimestre até janeiro, alta de 2,2% em comparação ao mesmo período no ano anterior, segundo o IBGE.

Da redação, informações do IBGE

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Skip to content