Roberto Alvim é demitido da Secretaria Especial da Cultura, após citação nazista

O secretário especial da Cultura, Roberto Alvim, foi exonerado do cargo, pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, após ter provocado uma onda de indignação ao citar em discurso frase atribuída ao ministro da Propaganda da Alemanha nazista, Joseph Goebbels, em vídeo de lançamento do Prêmio Nacional das Artes, veiculado na noite de quinta-feira (16/01).

Na gravação, Alvim copiou uma citação do ministro de propaganda da Alemanha nazista, Joseph Goebbels. Além disso, o anúncio traz como fundo musical a ópera “Lohengrin”, de Richard Wagner, compositor alemão celebrado pelo nazismo. A semelhança entre o discurso de Alvim e do ministro nazista foi identificada primeiro pelo portal “Jornalistas Livres”.

O presidente Jair Bolsonaro comunicou a demissão de Roberto Alvim da Secretaria Especial de Cultura, por meio de nota divulgada no inicio da tarde. De acordo com Bolsonaro, o “pronunciamento infeliz” tornou a permanência de Alvim no governo “insustentável”, por mais que ele tenha se desculpado.

Bolsonaro disse repudiar as “ideologias totalitárias e genocidas” e “qualquer tipo de ilação às mesma”. Além disso, manifestou “total e irrestrito apoio à comunidade judaica”.

O que disse Roberto Alvim
Nó vídeo divulgado pela Secretaria Especial de Cultura ele afirma: “A arte brasileira da próxima década será heroica e será nacional. Será dotada de grande capacidade de envolvimento emocional e será igualmente imperativa, posto que profundamente vinculada às aspirações urgentes de nosso povo, ou então não será nada”, discursou Alvim no vídeo postado nas redes sociais.

Segundo o livro “Goebbels: a Biography”, de Peter Longerich, o líder nazista afirmou: “A arte alemã da próxima década será heroica, será ferreamente romântica, será objetiva e livre de sentimentalismo, será nacional com grande páthos e igualmente imperativa e vinculante, ou então não será nada”.

Pedido de perdão
‘Erro involuntário’
Após ser demitido pelo presidente Jair Bolsonaro, Roberto Alvim pediu perdão à comunidade judaica por ter copiado um discurso do ministro de propaganda da Alemanha nazista, Joseph Goebbels em um vídeo oficial. Em seu perfil no Facebook, Alvim disse que não sabia a origem do texto que replicou no discurso de lançamento do Prêmio Nacional das Artes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Skip to content